O que é a prática para iniciantes

O que é a prática para iniciantes

A turma para iniciantes é um desdobramento do SwáSthya heterodoxo que, todavia, conquistou identidade própria. Não deve ser confundido com Yôga. Por isso recomendamos que não seja mencionado em artigos sobre Yôga; e que o Yôga não seja citado em matérias a respeito dessa fase inicial. Definimos esta fase como sendo técnicas biológicas por excelência. O ser humano precisa exercitar-se para não deteriorar seu corpo, não se tornar disforme e não morrer mais cedo.

É o estágio preliminar, obrigatório antes do interessado ter acesso as práticas de SwáSthya propriamente dito. Deve permanecer nesta fase apenas um mês (ou, no máximo, três, a critério do seu instrutor), a menos que seu objetivo seja unicamente o de dedicar-se a técnicas biológicas e não queira de maneira nenhuma praticar o Yôga autêntico. Nesse caso, vai trabalhar exclusivamente o corpo, com efeitos imediatos, intensos e de larga duração. Desenvolve a flexibilidade, a vitalidade, o tônus muscular e a saúde como um todo. Tem uma proposta descomplicada, sem filosofia, sem compromissos, sem sânscrito.

Consiste em técnicas corporais sem cansaço baseados em movimentos conscientes, sem repetição, que atuam prioritariamente em três áreas:

1) Flexibilidade – esta compreende o alongamento muscular e a flexibilidade articular, pois o alongamento só atua no âmbito muscular; contudo, se queremos conquistar uma boa flexibilidade, precisamos aumentar o ângulo de amplitude das articulações.

2) Tônus muscular – visa ao aumento de força, a definição da musculatura e o enrijecimento dos tecidos, sem comprometer a flexibilidade.

3) Vitalidade – ao realizar um trabalho continuado e gradual que promove profundas mudanças na vascularização da massa muscular, reforçadas pelo aumento de oxigenação celular e a redução do stress, o resultado é uma sensação de bem estar, boa disposição, alegria de viver e incremento na saúde de todos os tecidos e órgãos do corpo.

A partir dessa terceira área, compreende-se o motivo pelo qual esta fase inicial tende a atuar em uma larga gama de efeitos corporais aos quais muita gente atribui conotações terapêuticas.
Não se trata de ginástica. A Educação Física e os esportes são muito bons dentro dos objetivos a que se propõem.

Algumas vezes somos procurados por interessados em praticar nossa técnica e, por uma questão de honestidade, reconhecendo que seus objetivos não serão alcançados com estas técnicas biológicas, orientamo-los para que experimentem natação, musculação, dança, artes marciais, etc. Tudo é válido, dependendo do que a pessoa precisa ou deseja. Da mesma forma, é comum que alguém venha as nossas Unidades procurando por Yôga, e esclarecermos que a fase de iniciantes satisfará melhor suas expectativas. Ou vice-versa.

Artigo extraído do livro Tratado de Yôga, DeRose, Ed. Nobel.



Comments are closed.